quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Save Miguel

4 comentários:

  1. Esse não é o chaparro que disse ao outro que tinha que se candidatar?
    Quando ele ia a caminho do alentejo?

    ResponderEliminar
  2. Quem disse que não se pode fazer publicidade duma forma quase inocente!
    Américo Amorim, que este ano passou a ocupar o trono de homem mais rico de Portugal parece que conseguiu a excelente proeza de convencer Rob Schneider a demonstrar as inigualáveis vantagens da cortiça a troco duma garrafa de Porto de 1963 (ano do nascimento do actor).
    Parafraseando Rob Schneider, que romantismo teria abrirmos uma garrafa dum óptimo vinho através duma cápsula? Nada como o "ploc" final duma rolha de cortiça para abrilhantar um encontro a dois.

    P.S.: Ontem abri um Michele Chiarlo (2003), com rolha de cortiça (não sei se da Amorim Cortiças) e garanto que conferi romantismo ao evento.

    Ave Caesar

    ResponderEliminar