segunda-feira, 24 de novembro de 2008

As nuances do Senhor Professor


Dou por mim a folhear um dos (já) muitos jornais diários gratuitos que nos vieram cá ter por acréscimo com o progresso.
Este chama-se Meia Hora (http://www.meiahora.pt/) e sou franco - não conhecia.
Não sei se é de direita se de esquerda. Vejo por lá escritos de todos os espectros da nossa linhagem política, assumidamente partidários, e isso dá-me uma ideia de pluralismo. Pode ser só fogo de vista, mas aparentemente funciona.
Gostei do jornal que afinal se lê em menos de meia hora e hoje, não sei se é sempre assim, gostei especialmente do Editorial (pag 4). Em cinco colunas de letra pequena, Sérgio H. Coimbra, director do jornal, consegue falar bem de António Oliveira Salazar sem com isso ser reaccionário, fascista, nazi, ou qualquer outro dos epítetos que habitualmente premeiam quem se atreve a tanto.
Num país que está cada vez mais cinzento, com uma extrema-direita e uma extrema-esquerda a competirem para ver quem diz mais asneiras, com o PSD à procura do seu lugar à sombra sem se aperceber que por enquanto a sombra está toda por conta do PS, com o governo a negar hoje o que disse ontem e a dizer hoje o que irá negar amanhã e com o Partido Comunista divertidíssimo a limpar o pó às tarjas do tempo do PREC, é refrescante ver que alguem tem o desassombro de dizer alto o que pensa de Salazar, sem que pense forçosamente mal...
Parece que estamos a crescer, mas não estamos, porque continua a ser triste a falta de sentido de humor da nossa sociedade que insiste em se levar muito a sério. Leva as coisas a peito ou a brincar consoante são ou não politicamente correctas. Parece que só Alberto João Jardim e o Zé Carlos é que podem gracejar acerca do estado do país.
Pois eu acho que aquela dos seis meses sem democracia foi um exercício de fina ironia, ao nível de outra famosíssima tirada de génio: "...aqueles que não se governam nem se deixam governar".
Para guardar na memória.

6 comentários:

  1. Isso da página 4 foi para me fazeres ler o Aguiar Branco?!?

    Bem… na página 5 lá encontrei o discreto editorial!

    Concordo com o que escreveste no post (como com tantos outros antes deste mas às vezes não tenho nada a acrescentar e estar sempre a dar-te palmadinhas nas costas não tinha piada nenhuma!).

    Fiquei com os cabelos em pé com a forma completamente descontextualizada como os nossos media repetiram até à exaustão a frase de MFL. Detesto ser “des-informada”!

    Só por uma vez (na Sic Notícias) consegui ouvir a pergunta da plateia e a resposta completa de MFL. Fazia sentido, não era indutora de ondas de revolta, não fazia prever explosões de anti-fascismo… não fazia prever a absurda declaração do líder da bancada parlamentar do PS que de tão inflamado só se poderia dizer também “des-informado”… não há outra desculpa.

    Para além de tudo o que achei absurdo dei por mim também a pensar que MFL se limitou a expressar o que de vez em quando se ouve um ou outro português a dizer…
    “fazia cá falta um Salazar para pôr isto tudo na ordem!”
    Nunca ouviram? Eu já. Noutro dia, num blog concorrente, até li um post que fazia referência a um senhor “do povo” que no programa do Manuel Luis Goucha tinha dito que o país precisava de “300 Salazares!”

    Sou suficientemente lúcida para não identificar estas pessoas como fascistas. Tenho a certeza que não têm saudades da guerra colonial, da repressão ideológica, da PVDE, de Caxias, do medo… Acredito que terão saudades do tal patriotismo referido no editorial de Sérgio H. Coimbra, da sensação da causa maior, do bem público, do interesse nacional. Acredito que gostavam de acreditar que os nossos políticos dizem o que pensam e fazem o que dizem. Acredito que gostavam de resgatar do antigo regime apenas as coisas boas…

    Pareceu-me que MFL se atreveu a dizer num almoço para 100 pessoas uma expressão que “o povo” tantas vezes utiliza. Uma pena que “o povo” não estivesse lá para a ouvir…

    ResponderEliminar
  2. As velhas raposas do PSD teimam em não largar o osso, mesmo que já não consigam sequer roê-lo. É o caso de todos os que têm estado na passerelle do PSD nos últimos tempos e não há sequer um com competência. Nem dos velhos nem dos novos, isto porque os novos não conseguem ter uma atitude de rotura e de demonstração ao PSD (Barões), que conseguem representar o seu espaço político centro direita, não fazendo inflexões à esquerda, ou melhor a reboque do PCP e BE, utopias impensáveis para Sá Carneiro!...
    Já alguém disse à bem poucos dias que “SÁ CARNEIRO DEVE TER DADO VOLTAS NO TUMULO”.
    Uma opinião, já que não tem trunfos para ganhar as legislativas 2009, e são vocês mesmos que o admitem com muita convicção, porque não agora juntarem o vosso aparelho partidário ao do PCP para fomentarem todas as lutas em nome dos trabalhadores (professores, função publica 5% de aumento salarial, forças armadas, magistrados, saúde, e á falta de tema ajudem a CGTP a INVENTAR).
    SE PRECISAREM DE MIM, EU AJUDO (contem comigo), PORQUE TODAS ESTAS AJUDAS HOJE DIA SÃO PAGAS, ENTÃO EU PRECISO DE TROCOS, TRABALHO É TRABALHO UM BOM ACTOR É O QUE FAZ!... COMO EM PEQUENO SONHAVA SER ACTOR, PORQUE NÃO ENCARNAR ESTE PAPEL!...
    E que viva o folclore…
    Viva o PSD…
    Viva a luta a que mais convier, no momento convier!...

    Thoughts on Mealhada

    ResponderEliminar
  3. MFL, apenas quis dizer ( em minha opinião ) que era preciso um periodo sabático para tanta mentira e falsidade, para que os nossos "politicos" pudessem readquirir alguma confiança ( se é que isso ainda será possivel )junto do POVO.
    As reações inerentes ao seu "desabafo" apenas chocou a classe política porque creio que todos sentiram perfeitamente o sentido das suas palavras.

    ResponderEliminar
  4. Este País é muito enfadonho!
    Ontem à noite diverti-me mais uma vez a ver o DAILY SHOW, o mais esclarecido programa noticioso da tv americana.
    Como a SIC RADICAL anda um pouco atrasadita, o programa de ontem coincidiu com o dia das eleições norte-americanas que consagrou Obama como 44º Presidente dos EUA. Sem melindres, dois poderosos apoiantes de McCain e Obama "entraram no jogo" de Stewart e Colbert e permitiram-se ironizar sobre os candidatos, as respectivas esposas e o incontornável George Walker Bush.

    ResponderEliminar
  5. Pois é, mas por cá infelizmente não é assim.
    Quem controla o jardim à beira mar só acha piada ao som dos euros a empocharem. A isso acham todos muita piada - ao regabofe.
    Em tudo o resto são muito sérios. Certinho, direitinho e segundo o regimento.
    Bando de pindéricos é o que me apetece chamar-lhes, mas não posso senão processam-me!
    Razão tinha o Eça. E el Rei D. Carlos.
    Comem do povo, vivem do povo, fogem do povo...

    ResponderEliminar
  6. Great post your given information does help me a lot knowing that you have shared this information here freely.
    Panasonic Laptops

    ResponderEliminar